Estilo Cognitivo e as Dimensões do Processo de Estratégia em Micro e Pequenas Empresas

Rafael Morais Pereira, Felipe Mendes Borini, Adalberto Américo Fischmann

Resumo


O processo da estratégia empresarial apresenta três dimensões: o pensamento lógico ou criativo, a formação deliberada ou emergente e a mudança revolucionária ou evolucionária. Ademais, o estilo cognitivo do estrategista também ganhou ênfase no campo da estratégia, sendo caracterizado pelo padrão individual de processamento de informações. Alinhando a cognição às dimensões do processo estratégico, adotamos como recorte as micro e pequenas empresas, consideradas como organizações empreendedoras. O objetivo geral do artigo foi analisar a relação entre o estilo cognitivo divergente holístico do empreendedor e as três dimensões do processo de estratégia em micro e pequenas e empresas. Adotou-se uma abordagem quantitativa, com coleta de dados a partir de questionário aplicado a uma amostra de 92 micro e pequenas empresas de um município do estado de São Paulo. Os resultados, a partir da análise da modelagem de equações estruturais, demonstraram a relação entre o estilo divergente holístico com o pensamento estratégico do tipo criativo, com a formação estratégica deliberada e com a mudança estratégica de caráter tanto revolucionário quanto evolucionário. Como contribuições, delineamos que, diante de um estilo divergente holístico, o empreendedor assume um pensamento estratégico criativo e preconiza tanto mudanças revolucionárias quanto evolucionárias. Por outro lado, a criatividade, a inovação e a visão holista do estilo em questão não corroboram necessariamente uma formação estratégica emergente, flexível e colaborativa, pelo contrário, se associam a uma formação deliberada sob responsabilidade exclusiva do empreendedor proprietário.

Palavras-chave


Processo de Estratégia; Estilo Cognitivo Divergente Holístico; Micro e Pequenas Empresas

Texto completo:

PDF

Referências


Allport, G. W. (1937). Personality: A psychological interpretation. New York: Holt.

Armstrong, S. J., & Cools, E. (2009). Cognitive styles in business and management: a review of development over the past two decades: Vlerick Leuven Gent Working Paper Series 2009/02.

Armstrong, S. J., Cools, E., & Sadler‐Smith, E. (2012). Role of Cognitive Styles in Business and Management: Reviewing 40 Years of Research. International Journal of Management Reviews, 14(3), 238-262. doi: http://dx.doi.org/10.1111/j.1468-2370.2011.00315.x

Bariani, I. C. D. (1998). Estilos cognitivos de universitários e iniciação científica. (Doutorado), Universidade de Campinas, Campinas.

Cohen, J. Statistical Power Analysis for the Behavioral Sciences. (2 ed.). New York: Psychology Press, 1988.

Cortez, A. et al. (2016). COGNIÇÃO E AFETIVIDADE NAS TRAJETÓRIAS EMPREENDEDORAS DAS MULHERES DA CIDADE DO NATAL – RN. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas (ReGePe), 5(2), 24-50. doi:10.14211/regepe.v5i2.342.

Creswell, J. W. (2007). Projeto de Pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto (2 ed. ed.). Porto Alegre: Artmed.

De Wit, B., & Meyer, R. (2004). Strategy: Process, Content, Context. An international perspective. (3 ed. ed.). Minneapolis/St. Paul: Cengage Learning.

Doz, Y. L., & Prahalad, C. K. (1991). Managing DMNCs: A search for a new paradigm. Strategic Management Journal, 12(S1), 145-164. doi: 10.1002/smj.4250120911

Ferreira, J. M., & Ramos, S. C. (2004). Escolha estratégica e estilos cognitivos: uma correlação da tipologia de Miles e Snow e o modelo de Kirton Paper presented at the XXIV Encontro Nacional de Engenharia de Produção, Florianópolis-SC.

Fornell, C., & Larcker, D. F. (1981). Evaluating structural equation models with unobservable variables and measurement error. Journal of Marketing Research, 18(1), 39-50.

Gallén, T. (1997). The cognitive style and strategic decisions of managers. Management Decision, 35(7), 541-551. doi: doi:10.1108/00251749710170501

Gimenez, F. A. P. (1998). Escolhas estratégicas e estilo cognitivo: um estudo com pequenas empresas. Revista de Administração Contemporânea, 2(1), 27-45. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1415-65551998000100003

Hair Jr., J. F., Black, W. C., Babin, B. J., Anderson, R. E., & Tatham, R. L. (2009). Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman.

Hayes, J., & Allinson, C. W. (1994). Cognitive Style and its Relevance for Management Practice. British Journal of Management, 5(1), 53-71. doi: 10.1111/j.1467-8551.1994.tb00068.x

Kirton, M. (1976). Adaptors and innovators: A description and measure. Journal of Applied Psychology, 61(5), 622-629. doi: http://dx.doi.org/10.1037/0021-9010.61.5.622

Kozhevnikov, M. (2007). Cognitive styles in the context of modern psychology: toward an integrated framework of cognitive style. Psychol Bull, 133(3), 464-481. doi: 10.1037/0033-2909.133.3.464

Lenzi, F. C., Santos, S. A. d., Casado, T., & Kuniyoshi, M. S. (2015). Empreendedores Corporativos: Um Estudo Sobre A Associação Entre Tipos Psicológicos E Competências Empreendedoras Em Empresas De Grande Porte De Santa Catarina–Brasil. Revista de Administração da Unimep-Unimep Business Journal, 13(2), 117-141.

Lucian, R., Barbosa, G. L., Sousa Filho, J. M. d., Pereira, F. A., & Silva, I. M. d. (2008). O que há na mente de um estrategista? O uso da modelagem de equações estruturais na compreensão do processo estratégico. BBR - Brazilian Business Review, 5(2), 89-107.

Miles, R. E., & Snow, C. C. (1978). Organizational strategy, structure and process. New York: McGraw-Hill.

Mintzberg, H., Ahlstrand, B., & Lampel, J. (2000). Safári de estratégia: um roteiro pela selva do planejamento estratégico. Porto Alegre: Bookman.

Mintzberg, H., Lampel, J., Quinn, J. B., & Ghoshal, S. (2006). O Processo da Estratégia: conceitos, contextos e casos selecionados (4 ed.). Porto Alegre: Bookman.

Moraes, W. F. A. d., Albuquerque, M. A. V. d., Ortiz, F. H. d. L., & Campos, A. d. O. (2010). Processo Decisório Estratégico de Dirigentes de Micro, Pequenas e Médias Empresas Paper presented at the VI Encontro de Estudos sobre Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, Recife-PE.

Moreira, H., Moreira, M., & Silva, W. C. (2014). Dez Anos De Pesquisa Em Empreendedorismo Apresentados Nos Enanpads De 2003 A 2012: Análise Dos Autores Engajados Na Área. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas (ReGePe), 3(1), 33-55. doi:10.14211/regepe.v3i1.65.

Oliveira, B. R. B. d., Salazar, V. S., Crêspo, P. M., Costa, C. S. R., & Kovacs, E. P. (2015). Estratégia competitiva em MPEs: dimensões do processo e suas associações com as estratégias genéricas e funcionais. Gestão & Produção, 22(1), 119-132. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0104-530X965-13

Pereira, F. A., Sousa Filho, J. M. d., & Lucian, R. (2009). O Processo da Estratégia em Empresas de Tecnologia da Informação: Um Estudo no Porto Digital Paper presented at the IV Encontro de Estudos em Estratégia, Recife-PE.

Pizzinatto, N. K., Farah, O. E., Pizzinatto, A. K., & Pizzinatto, N. K. (2010). Tendências Estratégicas e o Perfil do Gestor. DOI: 10.15600/1679-5350/rau. v8n3p239-255. Revista de Administração da Unimep-Unimep Business Journal, 8(3), 239-255.

Quinn, J. B. (1982). Managing strategies incrementally. Omega, 10(6), 613-627. doi: http://dx.doi.org/10.1016/0305-0483(82)90064-0

Quintiliano, L. d. C., & Dias, M. R. F. d. B. (2013). Um Estudo sobre os Estilos Cognitivos, as Estratégias de Solução e o Desempenho dos Estudantes na solução de Problemas Aritméticos e Algébricos. Paper presented at the XI Encontro Nacional de Educação Matemática, Curitiba, PR.

Reis, J. A. F. d., El-Kouba, A., & Silva, W. V. d. (2008). Tipos de Estratégias e Estilos Cognitivos Gerenciais: Um Estudo de suas Relações em Empresas de Pequeno e Médio Porte Paper presented at the XXXII Encontro da ANPAD, Rio de Janeiro-RJ.

Rialp-Criado, A., Galván-Sánchez, I., & Suárez-Ortega, S. M. (2010). A configuration-holistic approach to born-global firms’ strategy formation process. European Management Journal, 28(2), 108-123. doi: http://dx.doi.org/10.1016/j.emj.2009.05.001

Ringle, C. M., Silva, D. d., & Bido, D. d. S. (2014). Modelagem de Equações Estruturais com Utilização do Smartpls. Revista Brasileira de Marketing, 13(4), 56-73. doi: 10.5585/remark.v13i2.2717

Ringle, C. M., Wende, S., & Becker, J.-M. (2015). SmartPLS 3. Boenningstedt: SmartPLS GmbH.

Sadler-Smith, E. (2004). Cognitive Style and the Management of Small and Medium-Sized Enterprises. Organization Studies, 25(2), 155-181. doi: 10.1177/0170840604036914

Salvador, D., & Rese, N. (2017). O Sensegiving no Processo de Elaboração de Sentido da Estratégia em Pequenas Empresas Caracterizadas como Organizações Híbridas. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas (ReGePe), 6(1), 128-159, 2017. doi:10.14211/regepe.v6i1.492.

Sanchez, J. C., Carballo, T., & Gutierrez, A. (2011). The entrepreneur from a cognitive approach. Psicothema, 23(3), 433-438.

Vasconcelos, F. C. d. (2007). Dinâmica organizacional e estratégia: imagens e conceitos. São Paulo: Thomson Learning.

Vidigal, P. R., Walcher, A. M. M., Pozo, H., & Nassif, V. M. J. (2011). Um estudo sobre a relevância dos aspectos cognitivos nas tomadas de decisões dos micro e pequenos empreendedores para planejamento e execução de estratégias. Paper presented at the IX Ciclo de Debates em Economia Industrial, Trabalho e Tecnologia, São Paulo-SP.

Zica, R., Gonçalves, C., & Martins, H. (2016). Internacionalização De Micro, Pequenas E Médias Empresas: Uma Avaliação Sobre O Processo Decisório Estratégico. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas (ReGePe), 5(3), 30-58. doi:10.14211/regepe.v5i3.398.




DOI: https://doi.org/10.14211/regepe.v6i3.497

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Rev. Empreendedorismo Gest. Pequenas Empres., São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2316-2058    

Prefixo do DOI: 10.14211  Classificação Qualis 2016: B1

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia